Arie Boomsma: “Os rituais diários dão calma à minha vida”

Os pequenos rituais podem ter um grande impacto na nossa saúde e felicidade. Essa é a firme convicção de Arie Boomsma, guru do fitness e produtor de televisão holandês. Queres saber quais as rotinas diárias que inclui na sua vida? Perguntámos-lhe tudo sobre os pequenos mas poderosos rituais que o ajudam a navegar pelas oportunidades e desafios da vida, desde o duche frio diário às práticas de meditação.

 

Tem uma vida muito ocupada, tem de se dividir entre as tarefas de produtor e apresentador de televisão, de escritor, de proprietário de um ginásio, de pai e de marido. O que faz para aliviar o stress?

 

“Se uma pessoa está a precisar de encontrar formas de aliviar o stress, acho que já vai demasiado tarde. Muitas pessoas passam a vida a correr para cumprir as suas agendas preenchidas, esgotam as suas forças e depois tiram férias para recuperar a sensação de calma ou para libertar o stress acumulado. Eu tento não chegar a esse ponto mantendo a mesma rotina diariamente. Para mim, isso significa fazer exercício todo os dias, ter um horário para as refeições e deitar-me mais ou menos à mesma hora todas as noites. Todos os dias passo 15 ou 30 minutos em silêncio, a fazer exercício de respiração ou meditação, e faço uma dieta fresca e variada. Além disso, combino o meu regime de exercício com uma massagem semanal para recuperar. Manter essas rotinas ajuda-me a ter calma e clareza na minha vida.”

 

Alternative text left image

Quais são os seus rituais diários? Quais são os rituais mais antigos e mais recentes na sua vida? E porque é que esses rituais diários são importantes para si?

 

”Sou realmente viciado em rituais. A minha rotina matinal é provavelmente o meu ritual mais antigo. Normalmente, acordo antes dos miúdos. Começo o dia com um duche frio, para me sentir imediatamente desperto, alerta e com energia. 

 

 

Depois, faço uma meditação curta, cinco ou dez minutos de silêncio. Habitualmente, a minha meditação matinal é bastante simples: conto a minha respiração e prolongo as minhas expirações. Ou faço uma meditação de análise do corpo. Às vezes, gosto de utilizar uma app de meditação, como a Headspace ou a app Rituals. Quanto ao meu ritual mais recente, ultimamente comecei a fazer uma massagem semanal. Uma vez por mês, também faço uma massagem facial. Estes rituais são novos para mim. Incluí-os na minha rotina diária porque me apercebi de que preciso de mais recuperação e cuidado agora que já sou quarentão. Em parte, isso é porque estou mais velho, mas talvez seja sobretudo porque tenho uma vida muito intensa e essa atenção extra realmente faz-me muito bem.”

 

Passa muito tempo no ginásio, mas qual é o seu exercício mental favorito para fortalecer a alma em vez do corpo?

 

“Leio muito. É uma coisa que sempre fiz. Leio menos agora, por causa dos miúdos, mas leio sempre pelo menos uma página por dia. Leio mais ao fim de semana e nas férias e em dias em que tenho mais tempo, mas uma página por dia é uma boa base para mim. Para além de ler, medito diariamente. Para muitas pessoas, a meditação ainda tem uma aura de excentricidade. Mas pare mim, trata-se simplesmente de estar um bocadinho em silêncio. Trata-se de ouvir o meu corpo, de ter consciência da minha respiração, de organizar os meus pensamentos. Há poucas coisas que têm um impacto tão profundo e positivo na nossa vida; recomendo a toda a gente que medite. Só se começa a sentir realmente os efeitos da meditação depois de a praticar durante algum tempo.”

 

Cuidar do corpo é importante para si. Dedica muito tempo a manter-se em forma. Isso pode ser apenas um desejo fútil de ter boa aparência. Porque é que cuidar do seu aspeto é importante para si?

 

“A nossa aparência é o reflexo de como fazemos exercício, comemos e dormimos. Para mim, manter uma boa aparência nunca foi um objetivo em si. Mas estou convencido de que esta época em que vivemos, na qual exigimos tanto de nós próprios e queremos fazer, ver e viver tantas coisas, exige que prestemos atenção à saúde do nosso corpo. Se não o fizermos, ficamos esgotados, não temos energia para os nossos filhos depois de um dia de trabalho, aparecem-nos dores no corpo ou ficamos doentes com mais frequência. Fazer exercício e cuidar do meu corpo dá-me energia para aproveitar a minha vida ao máximo. E além disso, adoro que o exercício force os meus limites, seja construtivo e um desafio para mim próprio.”

 

Quando sentiu um momento de felicidade pela última vez?

 

“Esta tarde, quando tinha a minha filha sentada no meu colo e estava a ler-lhe Plasman, um magnífico livro para crianças de Jaap Robben. Durante um bocadinho, foi como se só existíssemos os dois e aquela história. Foi um momento de completa união. Tão calmo. Tão perfeito.”