Era uma vez um sonho

Os sonhos são janelas fascinantes para a engrenagem da nossa mente. Há ainda muito por descobrir sobre eles, mas uma coisa é certa, são transversais a toda a humanidade e tão antigos quanto ela.

 

O chão desaparece sob os seus pés, a paisagem diminui, lá em baixo, e um vento fresco acaricia-lhe o rosto. Estende os braços e… está a voar! A sensação é tão real, tão emocionante. E depois acorda. Foi “só” um sonho, diz para si. Mas não pode deixar de pensar no seu significado.

 

Ao longo dos tempos e em todas as culturas, as pessoas procuraram sabedoria e orientação nos seus sonhos. Mais do que simples fantasias noturnas, os sonhos parecem pertencer a outro mundo, onde as regras do dia a dia não se aplicam. À medida que o nosso inconsciente ganha asas, a linha entre fantasia e realidade esbate-se, num universo em que tudo é possível.

 

Uma passagem para um mundo espiritual

A sensação de que há dois mundos que fluem quando fechamos os olhos significa que os sonhos são, frequentemente, vistos como uma porta para um universo espiritual. O deus hindu Vishnu sonha o universo durante um sono cósmico, tribos nativas americanas utilizavam os sonhos para comunicar com os espíritos dos seus antepassados e os antigos egípcios acreditavam que os sonhos eram mensagens dos deuses. Dormiam em “camas de sonho” nos templos, acompanhados por sacerdotes que, ao acordar, lhes revelariam o significado dos sonhos. E nós também podemos compreendê-los, graças ao Livro Egípcio dos Sonhos, encontrado junto ao Vale dos Reis, e repleto de sonhos como comer carne de crocodilo, partir pedra e cuidar de macacos. Datado de 1350 a.C., é o documento sobre os sonhos mais antigo do mundo a ter sobrevivido até aos dias de hoje.

 

Um mistério moderno

Mais de três mil anos depois, os nossos sonhos continuam a cativar-nos. No Japão, considera-se que o hatsuyume – o primeiro sonho do ano novo – prediz o que nos espera no resto do ano. Sonhar com o Monte Fuji ou com um falcão é visto como especialmente benéfico. No entanto, mais do que uma previsão do futuro, os estudos sugerem que os sonhos estão mais relacionados com o nosso passado imediato, sendo uma forma de a nossa mente processar os acontecimentos do dia.

 

Embora o seu mecanismo continue a ser um mistério, podemos dizer que os sonhos enriquecem a nossa experiência diária, uma vez que cada noite descobrimos as surpreendentes fantasias do mais profundo do nosso ser. Como diz o autor britânico Neil Gaiman: “As pessoas pensam que os sonhos não são reais pelo simples facto de não estarem feitos de matéria, de partículas. Mas os sonhos são reais. Estão feitos de pontos de vista, de imagens, de memórias…” E, obviamente, são sumamente importantes. Conhece algum outro sítio onde possa fechar os olhos e tocar o céu?

 

O significado dos sonhos

Temas comuns e os seus significados:

 

Animais – ligação aos seus instintos primários.

Pássaros agressores – demasiadas solicitações diferentes chamam por si.

Bebés – desejo de um novo começo ou de formar uma família.
 
 
 


Praia – um encontro de dois estados de espírito.

Floresta – saúde e vitalidade.

Ser perseguido – sensação de ameaça.

Edifícios ou casas – procura de uma sensação de segurança.

Sótão vazio – aproximam-se difíceis desafios.

Cair – sensação de opressão ou ansiedade.

Voar – esperança, liberdade, possibilidades ilimitadas

Dentes a cair – falta de controlo, impotência e ansiedade geral.

Queda de cabelo – medo de perder a vitalidade, a confiança ou a autoestima.

Quarto secreto – potencial escondido.


Aranha – um símbolo do poder feminino ou de criatividade

Aparecer num filme – olhar para o panorama geral da sua vida.

Viajar – uma mudança na sua vida, progresso ou desejo de mudar ou escapar.

Transformar-se num super-herói – nada se vai entrepor no seu caminho

Água – as águas calmas representam paz interior, enquanto as ondas indicam inquietação.