Roupa elegante para confortar o corpo e a alma: uma entrevista com a Diretora de Soulwear, Karlijn Wolfs

A nova coleção Soulwear outono/inverno 2018 já está aqui e estamos tão entusiasmados por partilhá-la consigo, como você está de a vestir! Karlijn Wolfs, diretora de categoria da linha de vestuário, indica-lhe o que está na moda e o que está fora de moda, explica-lhe a inspiração por detrás da coleção e diz-lhe porque é que nos faz falta mais Soulwear nas nossas vidas.

 

Pode contar-nos um pouco sobre si e sobre o seu trabalho na Rituals?

Trabalho na Rituals há uns 2 anos. Tenho uma longa carreira na indústria têxtil, incluindo várias marcas de crianças e adultos, bem como alguns grandes retalhistas. Gosto muito do meu trabalho na Rituals porque é um ambiente muito dinâmico e porque a empresa oferece muitas oportunidades. Temos o espaço para desenvolver e investigar estilos e fazer coisas de forma um pouco mais inovadora. Há sempre muita abertura para começar algo novo. É uma empresa muito interessante para trabalhar. Para além disso, tenho uma equipa muito dedicada e divertimo-nos muito a trabalhar e a criar coisas novas e fantásticas.

 


Por falar em coisas novas, a coleção outono/inverno é descrita como uma “inspiração na herança da Ásia ancestral”. Pode contar-nos como surgiu este conceito?

Lembro-me de uma noite em que me ia deitar e acabei por ficar entretida a ver um documentário muito interessante na televisão, sobre a montagem de uma exposição em Nova York. Chamava-se A China através da ampulheta e era sobre a herança cultural da China, incluindo magníficas peças de roupa. Por coincidência, também tinha recebido um catálogo desta exposição como presente de aniversário. Tem muitas fotografias bonitas dos magníficos estilos de vestuário orientais. Fantásticas peças em seda com detalhes complexos, bordados ricos e estampados espetaculares.

No dia seguinte, com essas imagens ainda frescas na minha cabeça, visitámos os nossos fornecedores e fiquei impressionada com alguns estampados. Este foi, realmente, o ponto de partida para a nova coleção. A inspiração pode vir de qualquer lado: um documentário, uma peça vintage numa loja ou até ao ver alguém na rua com algo fantástico quando estás a ir para o trabalho.

A Ásia, com toda a sua riqueza, história e tradição, é uma inspiração para todos os rituais, portanto é natural que isso também se reflita na coleção Soulwear. Tentamos utilizar símbolos com significado e expressões (escondidas) para elevar a coleção e para que se distinga da moda mais habitual. Na verdade, é moda que conta uma história.

 

A inspiração pode vir de qualquer lado: um documentário, uma peça vintage numa loja ou até ao ver alguém na rua com algo fantástico quando está a ir para o trabalho.


A nova coleção centra-se em 3 pilares: Home, Yoga e Sleep. Porquê?

Porque estes são rituais que fazemos no nosso próprio espaço — a nossa casa — onde podemos abrandar e sentir-nos em paz. Queremos oferecer aos nossos clientes um guarda-roupa que lhes proporcione isto. E, claro, muitas peças são intercambiáveis. Por exemplo, as fantásticas leggings estampadas yoga que lançámos no inverno passado foram vistas em festivais por todo o mundo! Trabalhamos para uma marca de cosméticos que valoriza os pequenos momentos de felicidade e queremos que a coleção Soulwear se relacione tanto quanto possível com o mundo que vemos nas lojas. Tentamos utilizar o mesmo tipo de cores ricas e elegantes. A Rituals oferece todo o tipo de produtos que nos fazem sentir melhor em casa e a Soulwear deveria fazer o mesmo.

 

Na sua opinião, o que distingue a Soulwear das outras linhas de vestuário?

Em primeiro lugar, a filosofia que lhe está subjacente. A principal missão da marca Rituals é ajudar as pessoas a abrandar e a encontrar a felicidade nas pequenas coisas. Julgo que oferecer roupa suave e confortável que não é demasiado chamativa e que tem detalhes de elegância atrai quase toda a gente. Quando a vestimos, temos a sensação de ter uma segunda pele. Faz com que tanto o nosso corpo como a nossa alma se sintam bem. A nova coleção é elegante, tem estilo e é muito fácil de usar. É alta qualidade combinada com conforto.

Para além disso, também estou muito orgulhosa de termos conseguido dar mais um passo no caminho da sustentabilidade nesta coleção. Por exemplo, a maior parte das peças nesta coleção Sleep de mulher são feitas de Lyocell, um tecido muito suave à base de celulose que é produzido num sistema fechado, o que significa que a água e os químicos são reutilizados.

 


A Soulwear é conhecida por ser incrivelmente suave e extremamente confortável, dando a sensação de uma segunda pele. Como é que cada coleção mantém este standard?

Bom, procuramos sempre tecidos novos e suaves, quando visitamos e compramos em feiras. Queremos utilizar fibras naturais sempre que possível, esse é sempre o ponto de partida. Tecidos à base de algodão, viscose, modal ou lyocell estão nos primeiros lugares da nossa lista, devido à sensação de suavidade que proporcionam em contacto com a pele. Algumas das peças necessitam de algo como a lycra, para dar maior conforto e ajudar a que as peças mantenham a sua forma. Isto aplica-se sobretudo à coleção Yoga. Sempre que possível, escovamos os tecidos, para que mantenham o toque suave e aveludado a que a Soulwear nos habituou.

 

Quais são as suas peças favoritas da nova coleção?

Oh, essa é uma pergunta difícil! Mas tenho de admitir que o quimono Philo está entre os meus favoritos. É de um magnífico tecido de jacquard, cujo tato é semelhante à seda lavada. O design e o fabrico baseiam-se num autêntico quimono japonês, com a mesma mão-de-obra, incluindo detalhes especiais como fios tingidos.

O apelativo blusão bomber Yodo também é feito do mesmo tipo de tecido de seda natural e tem um estampado especial. Toda a gente vai adorar a sua cor ocre.

 


Obrigado por conversar connosco, Karlijn. Mas antes de terminarmos, tem alguns rituais diários que gostasse de partilhar com os nossos leitores?

Na verdade, a minha viagem diária de bicicleta, de casa para a escola, para deixar um dos meus filhos, e depois até à estação de comboio, tornou-se numa espécie de ritual matinal. Sair de manhã desperta-me e proporciona-me um início de dia realmente fresco. Quando tenho de ir de carro para o trabalho, sinto falta dessa viagem de bicicleta.

Não consigo fazê-lo diariamente, mas faço ioga todos os domingos às 9 da manhã. Sinto que é um bom ponto de partida, sobretudo quando tenho uma semana agitada. Ajuda-me a concentrar, a relaxar e a começar a semana com a mente limpa.

E preciso de pessoas na minha vida, portanto temos uma vida social muito preenchida com amigos e família. Claro, isso inclui visitar os meus filhos mais velhos; adoro vê-los crescer como adultos.