“A minha vida com alma” com Dee Boomkens

Damos-lhe as boas-vindas à nossa nova série mensal “A minha vida com alma”. Através de 13 perguntas de afirmação da vida - inspiradas nos pontos da bússola  de The Art of Soulful Living, pedimos a uma pessoa que admiramos para refletir e revelar o seu verdadeiro ser

 

Durante muitos anos, a fotógrafa de moda Dee Boomkens viajou pelo mundo a fotografar pessoas bonitas em localizações de cortar a respiração. Através deste trabalho, apercebeu-se de que havia pouca ou nenhuma exposição de mulheres com mais de 40 anos. Refletindo na sua própria vida depois dos 40, lançou uma plataforma online, AndBloom. O seu site e o canal de Instagram dão protagonismo a várias mulheres com mais de 40 anos. Cada mulher, “as bloomers”, é fotografada e entrevistada por Dee, partilhando a sua história acerca de envelhecer com paixão, estilo e confiança.  A sua plataforma criou um espaço de partilha e comunicação com outras mulheres com uma mentalidade idêntica. Dee acredita que “nos tornamos naquilo que vemos. A mais poderosa forma de inspirar as pessoas é através de imagens”. No seguimento do seu negócio de sucesso, Dee aproveitou as suas competências fotográficas e lançou o seu livro, AndBloom, The Art of Ageing Unapologetically, que pode ser comprado online.

1. Em que momento do dia é mais reflexiva?

“Quando deixo o meu filho na escola e saio para passear o meu cão. Estar em contacto com a natureza significa que posso ouvir os meus pensamentos”.

 

2. Que pessoa, lugar ou coisa lhe proporciona alegria de forma garantida?

“A família, a minha casa, estar com os dois homens da minha vida, o meu marido e o meu filho. O meu marido dá-me alegria, é quem mais me compreende. Faz o melhor que pode para eu estar feliz e otimista e por causa disso, posso ser uma boa mãe”.

 

3. Acha que é mais importante perdoar ou esquecer?

“Perdoar. Como podemos esquecer? Nunca esquecemos realmente. Quando perdoamos, podemos pelo menos libertar-nos disso”.

 

4. Por que momento da sua vida está mais grata?

“Pelo momento em que o meu teste de gravidez deu positivo e me tornei mãe. É o momento mais mágico. Foi difícil lidar com os meus problemas de fertilidade, estou muito grata ao meu corpo por ter provado que toda a gente estava errada”.

 

5. Já encontrou o propósito da sua vida?

“Sim, com AndBloom, pois os meus retratos têm mais significado. Interessa-me muito como estas mulheres veem o envelhecimento e como enfrentam as diferentes fases da vida.  Curiosamente, todas as mulheres passam pelas mesmas fases vitais. Para mim, partilhar é cuidar e tem sido um alívio ver os problemas de outras mulheres e reconhecê-los em mim.  Quando somos mais velhos, temos mais experiência, portanto o meu trabalho agora é muito mais honesto”.

 

6. Acha que é possível ensinar a compaixão?

“Acho que é possível, mas depende da pessoa que tentamos ensinar. Se alguém está aberto à mudança, então sim, mas a compaixão é algo que se tem”.

7. O que gostava de fazer de forma mais consciente?

“O meu trabalho. Ponho muita paixão em tudo o que faço. O meu trabalho é sempre importante para mim, mas posso fazer demasiadas coisas e exagerar e tornar-me workaholic, o que facilmente se pode traduzir num esgotamento. Por vezes, tenho de ser mais consciente e afastar-me”.

 

8. Como é que uma pessoa saberia que a ama?

“Sou uma pessoa muito seletiva, portanto não é fácil alguém aproximar-se de mim; portanto quando uma pessoa entra no meu círculo, sabe que a amo”.

 

9. Qual foi o último ato aleatório de bondade que fez ou viu?

“Foco-me muito nas pequenas coisas da vida. A beleza da vida, por exemplo, um bonito dia de verão, elogiar alguém, sorrir para as pessoas, ouvir a sua história. Esta manhã, estava a passear com o meu cão e conheci uma senhora que estava a fazer quimioterapia; falei com ela durante um momento e foi muito impactante para ambas”.

 

10. Quais as 3 palavras que descrevem o seu verdadeiro ser?

“Leal, solitária, um pouco louca, às vezes”.

 

11. É fiel ou volúvel relativamente às suas paixões?

“Fiel. Foco-me muito no que estou a fazer, mas isso também é perigoso, porque me absorve muito”.

 

12. O que é que atrai sempre a sua atenção e o mantém no momento?

“A injustiça em geral, as pessoas necessitadas. Digo sempre ao meu filho que ele tem de ter consciência das pessoas que o rodeiam e ajudar quem precisa”.

 

13. Em que momento da sua vida é que mais precisou de uma mentalidade positiva?

“Durante a jornada da infertilidade. No momento em que decidi que ia ter um filho, tive de acreditar em mim e no meu corpo, quando toda a gente à minha volta me dizia que isso não iria acontecer. Acho que foi aí que a minha mentalidade positiva me ajudou realmente”.

Para saber mais sobre os 13 pontos da bússola de The Art of Soulful Living e como pode utilizá-los para promover o seu bem-estar pessoal, clique aqui.