Hanakotoba: A secreta linguagem japonesa das flores

É do conhecimento geral que as flores têm significados: as rosas vermelhas são incontornáveis no Dia dos Namorados, as margaridas são um símbolo claro de inocência e sem as festivas estrelas-de-Natal nenhuma celebração natalícia está completa. O que é menos conhecido é que os japoneses ancestrais pegaram nesse simbolismo e elevaram-no ao seu ponto mais alto, desenvolvendo a arte do hanakotoba, a linguagem secreta das flores. Continue a ler para saber mais e descobrir como pode incluí-la na sua vida…

 

Por vezes, os sentimentos são mais fortes quando não envolvem palavras, mas são transmitidos por grandes gestos ou pequenos atos de apreço. Os japoneses dominam estas comunicações em código, que têm a sua maior forma de expressão na arte ancestral do hanakotoba.

 

Através de traços como a cor, o tamanho e o aspeto geral, esta linguagem pode ser utilizada para transmitir todo o tipo de mensagens, desde pureza, paixão ou ódio. Uma pessoa pode fazer uma declaração enviando um ramo de gardénias (amor secreto), de flor de ameixa (elegância e lealdade) ou de camélias amarelas (saudades). E espera uma resposta com papoilas brancas (regozijo) ou rosas vermelhas (paixão), mas receia que o resultado seja uma tulipa (amor não correspondido) ou um lírio laranja (ódio).

 

O hanakotoba baseia-se no ideal budista de prestar atenção às pequenas coisas. A fragilidade e evanescência das flores implicam que o significado de um ramo de flores pode ser fugaz, mas que deve ser ainda mais apreciado pela sua efemeridade. Combinada com a prática tradicional do ikebana, ou arranjos de flores, estas e as mensagens que transmitem são celebradas e elevadas à sua forma mais refinada. É uma lição que bem nos pode servir atualmente: descobrir a beleza na subtileza e nos significados ocultos.

 

Algumas das flores mais comuns e os seus significados:

 

Flor de cerejeira

Das flores mais associadas com o Japão, as flores de cerejeira anunciam a primavera. Com as suas pétalas frágeis e a sua aparência delicada, são consideradas um símbolo de pureza, delicadeza e transitoriedade. São muito comuns na arte japonesa e até no manga atual.

 

Lótus branco

Consideradas as flores mais sagradas, os lótus são símbolo de pureza por nascerem tão brancos e bonitos a partir do lodo. São muito associados a Buddha e podem ser símbolo de verdade, perfeição e consciência espiritual.

 

Crisântemo

Símbolo do imperador e da família imperial japonesa, o crisântemo é considerado a mais nobre das flores. Mas tenha cuidado com a cor que envia: os crisântemos amarelos significam realeza, os vermelhos, amor e os brancos, pureza e luto, sendo presença habitual em funerais.

 

Camélia

As camélias, ou tsubaki, são muito populares no Japão desde o período Edo. É outra flor com vários significados. As camélias vermelhas representam amor, quando são frescas, mas podem ser interpretadas como “uma morte nobre” quando murchas, pela forma como a flor se separa da haste, ao morrer. As camélias brancas simbolizam espera e as amarelas, saudade.

 

Violeta

Com as suas cores chamativas, consideradas uma reminiscência da tinta utilizada por um carpinteiro muito trabalhador, as violetas representam honestidade, sinceridade e dedicação. Incluir violetas num ramo de flores significa que a mensagem é verdadeira e profunda.