A ciência de fazer o bem e porque é benéfico para todos

Embora, por vezes, o mundo possa parecer um lugar cruel e implacável, na verdade nem tudo é mau, se olharmos atentamente. Como o site Random Acts of Kindness afirma, todos os dias ouvimos histórias de pessoas que, diariamente, tentam tornar o mundo um lugar melhor. E isso pode começar pelas pequenas coisas. Fazer o bem é grátis, fácil e positivo e tem um poder extraordinário e está cientificamente provado que é benéfico para nós, para os outros e para o mundo. Juntos, podemos tornar o mundo um pouco mais agradável para todos. E podemos começar já.

 

Faz pequenas boas ações aonde quer que vás; é o conjunto de todas elas que abala o mundo.

Desmond Tutu

A bondade é contagiosa

Ajuda-nos a construir uma rede de relações, seja no trabalho ou na vida privada, que nos permite sentirmo-nos equilibrados e seguros. Se nos depararmos com um problema, é menos provável que tenhamos que suportar esse peso sozinhos, se tivermos um grupo de pessoas à nossa volta.

 

O mais bonito de fazer o bem é que é a única coisa no mundo que se multiplica quando partilhada. Alguns neurocientistas utilizaram a neuroimagiologia para mostrar que os “neurónios espelho” do cérebro são ativados quando vemos alguém que demonstra uma emoção ou um esgar, imitando esse sentimento nas mesmas áreas do cérebro. Ver alguém em sofrimento ativa as mesmas partes do cérebro que quando somos nós que sofremos, tal como sentimos necessidade de bocejar quando vemos outra pessoa a bocejar. Conclusão: basta presenciarmos alguém a fazer uma boa ação para nos sentirmos motivados a fazer o mesmo.

 

Fazer o bem é bom para a alma

Se estiver a sentir-se em baixo, uma forma garantida de melhorar o seu estado de espírito é ser agradável com as outras pessoas. A generosidade ativa uma parte do cérebro que se chama corpo estriado, que responde às coisas que consideramos gratificantes, como uma boa refeição ou uma boa gargalhada. E essa sensação de felicidade também é produzida quando ajudamos outras pessoas, é a adrenalina de quem ajuda. E lembre-se de que fazer o bem é exponencial: se outras pessoas o(a) virem a ajudar alguém, o seu cérebro vai libertar as mesmas hormonas da felicidade, pelo que a probabilidade de que também pratiquem uma boa ação é significativamente mais alta. Este é o único tipo de cadeia de e-mails que qualquer pessoa gostaria de receber.

 

A verdade é que o planeta não precisa de mais pessoas bem-sucedidas. Mas precisa desesperadamente de mais mediadores da paz, curadores, restauradores, contadores de histórias e cuidadores de todo o tipo.

David W. Orr, professor de Estudos Ambientais e Política

 

Além disso, fazer o bem estimula os níveis de serotonina, que cura as feridas, ajuda a relaxar e faz com que nos sintamos bem, e de dopamina, que nos proporciona sentimentos de satisfação e bem-estar. Estudos demonstram que basta fazermos uma boa ação por dia para que o corpo se inunde de hormonas que fazem com que nós e a pessoa que ajudámos nos sintamos mais calmos, mais saudáveis e mais felizes. Ambas as partes se sentem com mais energia, sentem menos dores, têm mais confiança e podem até viver mais tempo.

 

Fazer o bem é bom para a saúde

Sim, a investigação cardiovascular indica que as boas ações são boas para a saúde e que podem até abrandar o processo de envelhecimento do corpo. Ajudam a ativar a libertação de oxitocina, que reduz a inflamação, faz baixar a tensão arterial e limita a presença de radicais livres no sistema cardiovascular. Esta hormona também faz com que nos sintamos mais afetuosos e mais queridos.

 

Fazer o bem também reduz o stress: as pessoas que praticam mais boas ações têm 23% menos de cortisol (hormonas do stress) no corpo, como demonstra um estudo de 1998. Além disso, fazer boas ações estimula o sistema imunitário, o que nos torna mais resistentes, melhora o estado de espírito e produz endorfinas, um analgésico naturalmente produzido pelo corpo.

 

E não fica por aqui. Também há evidências de que fazer o bem faz com que sintamos que a nossa vida tem significado, proporciona uma sensação de caminhar numa direção e de ter objetivos - ou seja, faz com que nos sintamos preenchidos -, o que aumenta a probabilidade de cuidarmos mais de nós, seguindo um estilo de vida saudável, com exercício regular e uma alimentação equilibrada.

Fazer o bem é uma linguagem que os surdos conseguem ouvir e os cegos conseguem ver.

Mark Twain

Todos precisamos de toda a bondade que pudermos ter. Todos precisamos de amabilidade em momentos de necessidade. Portanto, procure formas de fazer boas ações, tanto para si como para os outros. Não é preciso muito, mas pode fazer toda a diferença.

 

Para mais inspiração, recomendamos que leia tudo sobre as tradições de bondade que podemos aprender com a cultura coreana.

 

Este verão, deixe que a generosidade entre na sua vida, partilhe-a com outras pessoas e descubra como tratar o mundo com generosidade também. Visite a nossa Kindness Community e explore uma série de conteúdos que vão inspirar otimismo e boas vibrações para si, para os outros e para o mundo.

Laura Wabeke

Laura Wabeke

Tradutora, editora e copywriter, Laura Wabeke tem um fascínio pelas palavras e pelas inúmeras formas inovadoras em que podemos utilizá-las para nos expressarmos. Depois de nove anos a trabalhar por conta própria – entre a indústria de viagens, agências de meios de comunicação, publicidade e edição de livros –, agora, esta copywriter in-house é fluente em ioga, meditação, mindfulness e em adotar a filosofia da marca de encontrar beleza e felicidade nas pequenas coisas.