A felicidade é uma peça essencial para o puzzle do bem-estar

Com que frequência trabalha para a sua felicidade? Todos sabemos que para viver uma vida saudável, devemos comer bem e fazer exercício. Algumas pessoas fazem meditação para acalmar e fortalecer a mente. Mas exercitar o músculo da felicidade também é fundamental. A felicidade é um importante fator para alcançar o bem-estar. É por isso que é um dos treze pilares da nossa filosofia de viver com alma. O conceito de felicidade é algo que muitos de nós nos esforçamos por atingir, um destino na viagem que é a vida. Quando conseguimos aquele trabalho de sonho, encontramos a cara-metade ideal, cumprimos tudo o que está na nossa lista vital ou atingimos os objetivos que temos na vida, sejam eles quais forem, então seremos felizes. Quando, na verdade, cultivar uma mentalidade de felicidade todos os dias é uma peça essencial para o puzzle do bem-estar. Ninguém devia esperar para ser feliz, em vez disso, devíamos ser capazes de encontrar a felicidade no aqui e no agora.

 

Desde estudos científicos à sua experiência pessoal, a quantidade de evidências que confirmam que a felicidade pode, efetivamente, influenciar a saúde é bastante ampla. Ser feliz tem o poder de mudar a nossa vida, tanto nos grandes momentos, como nos pequenos. Então vamos explorar os motivos pelos quais a felicidade é uma peça fundamental para o puzzle do bem-estar.

 

1. A felicidade faz bem ao coração

Alguma vez se sentiu tão feliz que podia sentir a alegria no coração? Bom, os investigadores estabeleceram relações entre a felicidade e o ritmo cardíaco lento e a tensão arterial baixa. Assim como as emoções negativas como a depressão, raiva e hostilidade são fatores de risco para algumas doenças cardíacas graves, a felicidade parece proteger o coração. Um estudo descobriu que o risco de doenças vasculares das pessoas mais felizes é 22% mais baixo.

 

2. A felicidade faz bem ao sistema imunitário

Aquela expressão que diz que “rir é o melhor remédio” talvez seja verdade, mas agora a ciência sugere que a felicidade pode, na verdade, fortalecer o nosso sistema imunitário, tornando-nos menos suscetíveis às doenças. Os investigadores de um estudo descobriram que as pessoas expostas ao vírus da constipação comum tinham menos probabilidade de ficar doentes se fossem mais felizes. O estudo também revelou que quando as pessoas mais felizes ficavam doentes, os seus sintomas eram menores do que os esperados de uma constipação.

 

3. A felicidade combate o stress

A felicidade pode reduzir os efeitos adversos do stress ou, pelo menos, ajuda-nos a recuperar mais rapidamente! As endorfinas produzidas por uma boa gargalhada com alguém de quem gostamos também podem diminuir os níveis de cortisol, a mal-afamada hormona do stress. Sentirmo-nos satisfeitos ou felizes com as nossas opções, relações e com as coisas que conquistamos aumenta os níveis de dopamina, oxitocina e serotonina. Estes três elementos são conhecidos como as hormonas da felicidade, um conjunto de neuroquímicos que ajudam a melhorar a sensação de bem-estar.

 

4. A felicidade funciona como atenuante da dor

Quando se trata de dor crónica em mulheres, a felicidade parece funcionar bastante bem como antídoto. Este estudo revelou que a felicidade alivia a dor em contexto de doença. “Ao longo de cerca de três meses, mulheres com artrite e dores crónicas classificaram semanalmente as suas emoções positivas, como interesse, entusiasmo e inspiração. Durante o estudo, as que tinham classificações gerais mais elevadas tinham menos probabilidade de sentir aumentos de dor”, referiu o autor do estudo. Alguns médicos recomendam até terapia comportamental em vez de elevadas doses de analgésicos para ajudar as pessoas a lidar com a dor crónica, acreditando que um bom estado de espírito é sinónimo de menos dor.

 

 

5. A felicidade pode prolongar a longevidade

Ser feliz não torna apenas a vida mais divertida, mas a satisfação geral com a nossa vida, outro indicador significativo da felicidade, está também relacionada com a longevidade. Estes investigadores observaram o impacto da felicidade em 32 000 pessoas e a sua taxa de sobrevivência ao longo de um período de 30 anos. “As pessoas felizes vivem mais tempo”, afirmaram claramente os investigadores; as menos felizes tinham 14% mais de probabilidade de morrer comparadas com as pessoas mais felizes do estudo. Outro estudo de cinco anos, monitorizou o estado de espírito de mais de 3800 pessoas e descobriu que as que diziam sentir-se felizes, entusiasmadas e contentes num dia normal tinham 35% menos de probabilidade de morrer durante o estudo.

 

6. As pessoas felizes vivem melhor

Sermos felizes promove uma variedade de hábitos que são importantes para a saúde geral. As pessoas felizes têm tendência a comer de forma mais saudável, com maior ingestão de fruta, legumes e cereais integrais. Também têm mais um terço de probabilidade de viver uma vida ativa e com exercício regular, o que contribui para uma boa densidade óssea, níveis de energia elevados e tensão arterial baixa. Os estudos demonstram que a alegria também nos torna mais produtivos e mais agradáveis, tendo as pessoas mais felizes mais probabilidades de contribuir positivamente para a sociedade. Por exemplo, têm mais probabilidade de fazer trabalho voluntário e de participar em atividades públicas.

 

Agora que já sabe como é que a felicidade contribui para o seu bem-estar, porque não participa no Happiness Challenge? Mo Gawdat, ex-diretor de negócio da Google [X] e autor de Solve for Happy, e a Rituals têm uma missão comum de fazer #1MillionHappy. Junte-se a nós numa viagem interativa de 14 dias que vai transformar a sua vida e ajudar a que encontre a felicidade verdadeira e duradoura. Inscreva-se no Happiness Challenge aqui