Descubra o que a Luz Significa na Sua Rotina Diária

No verão, muitas das nossas rotinas e rituais naturais ficam um pouco esquecidos. Para os que têm filhos, estes têm férias da escola. Aqueles que trabalham no escritório, sentem-se por vezes um pouco preguiçosos durante os belos dias ensolarados. Todos os dias (ou mesmo todas as horas), damos connosco a sonhar com umas férias junto ao mar.

 

Em vez de combater o ritmo natural desta época do ano, podemos deixar-nos levar por ele para conseguir uma sensação mais profunda de ligação connosco mesmos e com o mundo que nos rodeia. Somos seres intuitivos e as diferentes épocas do ano trazem energias, características e tópicos diferentes às nossas vidas.

Se estivermos atentos ao que existe no "ar" em cada estação, podemos criar práticas que funcionam em harmonia com a natureza e os seus ciclos. Gostaria de me concentrar no que considero o tema principal e que surge naturalmente no verão, a luz. É com base nela que quero sugerir algumas formas de desenvolver novas consciências e rituais.

O descanso não é ociosidade e não é uma perda de tempo deitarmo-nos às vezes na relva debaixo das árvores num dia de verão para ouvir o murmúrio da água, ou para observar as nuvens a flutuar no céu.

John Lubbock

 

O verão é obviamente a época do ano em que existe mais luz. Os dias são mais longos e as noites são mais curtas. À noite, muitas pessoas ficam acordadas até mais tarde; outras acordam mais cedo de manhã.

Mas a luz também é muito importante em termos metafóricos.

 

1. Fisicamente

Esta é a época do ano em que preferimos naturalmente alimentos mais ”leves”, como os sumos de frutas e as saladas, alimentos que ajudam o organismo a manter-se mais fresco, calmo e hidratado. Nesta época do ano devemos procurar receitas refrescantes e revigorantes.

Segundo o especialista em Ayurveda, John Douillard, "quando ajustamos a nossa dieta e estilo de vida à estação do ano, os micro-organismos digestivos que contribuem para uma boa saúde alteram-se drasticamente". No verão, ele recomenda optar por alimentos mais doces, amargos e adstringentes, como saladas, vegetais cozidos no vapor, frutas e óleo de coco. Devem ser evitados os alimentos com sabores mais fortes, quentes ou ácidos, como o café e os alimentos picantes. Para manter a hidratação, podemos beber regularmente água de coco ou água com um pouco de pepino.

Um ritual recomendado: pense no seu organismo como um reservatório sensível e robusto, naturalmente afetado pela natureza e pelas estações do ano. Antes de preparar uma refeição, fazer um pedido num restaurante ou selecionar alimentos, reserve um momento (feche os olhos se desejar) e sinta como o seu organismo se sente nesse momento e o que realmente necessita. Selecione os alimentos conscientemente, prestando sempre muita atenção à forma como se sente quando os ingere e depois disso. Se sentir irritado ou tiver demasiado calor depois de uma refeição, passe a optar por alimentos mais refrescantes e leves.

 

2. Energicamente

A luz oferece-nos uma das fontes mais fortes de “prana”, ou energia vital, - o sol. No entanto, é necessário saber como aproveitar esta energia para nosso benefício, para evitar uma sobrecarga de energia e calor devido à exposição excessiva ao sol. A prática de atividades excessivas durante as horas de maior calor pode exigir demasiada energia. Em vez disso, devemos concentrarmo-nos em absorver o prana solar durante as horas da manhã ou do final do dia, quando o sol é menos intenso.

Um ritual recomendado: uma vez por semana, de manhã cedo ou no final do dia, sente-se sozinho ao sol. Feche os olhos e mantenha as mãos abertas no colo. Inspire e expire lenta e confortavelmente a um ritmo constante. Durante cinco minutos, concentre-se em absorver o prana, ou energia solar. Deixe-a espalhar-se por todo o corpo, trazendo-lhe vitalidade e força. Tenha cuidado em não o fazer muitas vezes ou durante muito tempo para evitar sobrecarregar o seu sistema.

 

3. Psicologicamente

O verão é uma época de extroversão. No inverno viramo-nos naturalmente para dentro, enquanto que no verão somos atraídos naturalmente para o exterior. Como psicólogo, costumo encorajar as pessoas a não se concentrarem muito no seu “interior” (ou a procurarem muito a sua "escuridão" pessoal) durante esta época do ano.

Em vez disso, o que consideramos psicologicamente benéfico no verão são as atividades (mais) “leves”, como o repouso e o relaxamento, com um maior foco no humor, nos relacionamentos, nos encontros sociais e nos aspetos mais "leves" da nossa vida e da nossa personalidade. Tente afastar-se dos ecrãs e de qualquer atividade que o obrigue a ficar no interior. Concentre-se em vez disso em sair de casa, “areje” a cabeça, saia da sua zona de conforto e ligue-se ao mundo natural. Procure uma sensação de restauração psicológica através da diversão, das viagens e do descanso.

Um ritual recomendado: tente planear conscientemente uma desintoxicação digital. Isso significa largar telefones, computadores e a televisão durante um mínimo de 24 horas, ou até mais, se o seu incessante instinto de pegar no iPhone o suportar! Segundo diversos estudos, gastar horas a olhar para um ecrã cria fadiga mental e letargia física, entre outros problemas. Li recentemente um artigo sobre uma mãe que criou um ritual anual para a família com "verões sem ecrãs". Ela escreveu de forma inspiradora como isso transformou completamente a saúde psicológica, o empenhamento e a imaginação, não só dos seus filhos, mas de toda a família.

 

Talvez se possa inspirar neste exemplo e o queira tentar também! Comunique às pessoas por sua volta o que deseja fazer e mantenha o seu propósito. Pode também pedir a alguém que o ajude a cumprir esta decisão. Quando procuramos a leveza do verão, procuramos naturalmente e mais plenamente o mundo e os relacionamentos que nos envolvem.

 

Deborah Quibell

Deborah Anne Quibell é escritora, healer e professora profissional e acredita apaixonadamente na aplicação do conhecimento académico fundamentado nas áreas da yoga e da espiritualidade. É instrutora superior no Instituto de Estudos Internos, possui um doutoramento em Psicologia Profunda e dá aulas de Cura Prânica, para além de yoga e meditação, em estúdios, empresas e online.