Porque é tão importante ter um trabalho com significado (e como se certifica que o faz)

Num mundo ocidental, somos tão fanáticos pela procura da felicidade que se se torna uma obsessão, segundo a escritora Emily Esfahani Smith. Agora parece que esta procura é na verdade o objetivo errado na vida: de facto, faz com que as pessoas sintam que a sua vida não tem propósito.

The key to purpose is using your strength to help others

Emily Esfahani Smith


Segundo Smith, aqueles que aprofundam a “psicologia positiva” de pensadores como Aristotle e Buddha estão na verdade à procura de significado. Isto por si só leva à felicidade. Na TED talk seguinte, o autor americano discute os 4 “pilares” que podem ajuda-la: no sentimento de pertence, encontrar a sua vocação, uma experiência transcendente e storytelling.

Se quer encontrar um significado para a sua vida, a procura provavelmente começa onde passa muito do seu tempo: no trabalho. Mas como descobre se realmente o seu trabalho tem significado para sim? Talvez tenha um trabalho que gira em torno de poder e dinheiro. Ou está a fazer alguma coisa durante o dia que a faz duvidar se está na verdade a acrescentar algum valor à sua vida? Então, pergunte a si mesma: vive para trabalhar, ou trabalha para viver?

 

A importância de um trabalho com significado

A importância do trabalho conectado com uma existência com significado não pode ser sobrestimada. De acordo com um estudo publicado no The Journal of Mental Health, condições como depressão, ansiedade e stress são extremamente comuns entre os trabalhadores. Um por um, estes problemas são (em parte) causados pelo trabalho que as pessoas consideram insatisfatório. Portanto, a fim de levar uma vida com mais significado, você precisa de ter um trabalho com mais significado: um trabalho que assegura crescimento pessoal e que lhe dá o sentimento que está a contribuir para um bem maior.

 

Pergunte a si própria as seguintes questões

Segundo Lynda Gratton, teórica organizacional e professora na London Business School, pode descobrir se o seu trabalho tem significado suficiente perguntado a si própria umas questões. Por exemplo: sente-se intelectualmente desafiado pelo seu trabalho? Pode o conhecimento desenvolvido no seu trabalho ser aplicado na sua vida? O seu trabalho tem uma influência positiva na sociedade? Se consegue responder “sim” a estas 3 questões, está definitivamente no caminho certo.

 

Uma conexão autêntica

Mas se as respostas a estas questões são maioritariamente negativas? Infelizmente, não há nenhuma abordagem perfeita quando se trata de tornar o seu trabalho com significado, mesmo que queiramos um. Num relatório publicado no MIT Sloan Management Review, investigadores falaram com 135 pessoas de 10 ramos diferentes e determinaram que todos os trabalhadores estavam à procura de “uma conexão autêntica entre o trabalho e um objetivo (de vida) maior.” Simplesmente afirmaram, se tiver o sentimento que o seu trabalho é mais que um emprego, então já está apontado para a direção certa. Acrescentando a isto, sentir-se orgulhosa do que desempenha um papel importante, tal como o sentimento que o seu trabalho é interessante e dá asas à sua criatividade e liberdade. 

Não se preocupe se este tipo de sentimentos não aparece imediatamente a seguir a ler este artigo. A ideia de que você tem um trabalho com significado vem gradualmente – quando está a ser realmente desafiado ou quando está a ajudar um colega com uma situação complicada, por exemplo. Portanto, não é necessariamente alguma coisa que está constantemente presente na sua vida.

 

Job crafting

Se quer fazer alguma coisa para tornar o seu trabalho com mais significado neste preciso momento, você pode considerar o princípio de “job crafting” ou recriar o próprio trabalho. Este termo, foi mencionado primeiramente no relatório de pesquisa da professora Amy Wrezesniewski e dos seus associados da Yale University, envolve um plano de 3 passos que podem ajuda-la a ficar em vantagem no seu trabalho. O primeiro passo é “task crafting” ou recriar tarefas, onde você pensa quais são as partes do seu trabalho que gosta e quais partes que não gosta. É simplesmente uma questão de remover as coisas que a fazem infeliz. Claro, pode não ser fácil fazer isto com todas as funções, mas pode sempre procurar por maneiras de tentar.

Segunda parte é composta por “relational crafting” ou recriar relações e interações, noutras palavras: estabelecer relações mais fortes e próximas com os seus colegas. Passar mais tempo com pessoas do trabalho que gosta, e menos tempo com aqueles que não gosta. E finalmente: “cognitive crafting” ou recriar o cognitivo. À primeira vista, este parece o mais simples, porque está relacionado com a mudança da sua mente – e isso significa que a responsabilidade fica somente nas suas mãos. Nesta última parte, você tentar olhar para o seu trabalho com umas lentes mais positivas, que esperamos esta a leve a um maior preenchimento. 

Você pode escolher praticar as 3 partes do princípio, mas não é necessário. Quem sabe... talvez o seu trabalho fique instantaneamente com mais significado quando remover alguns dos seus items menos favoritos da sua to-do list.…


Quer mais dicas sobre como tornar o seu trabalho mais agradável? Leia este artigo sobre bem-estar no ambiente de trabalho.