Dia 3: Neuroplasticidade: o segredo de treinar novamente o cérebro para a calma

Acha que não consegue fazer as coisas de outra forma? Pense novamente. A prática do mindfulness pode ajudar a criar novos hábitos duradouros

 

No vídeo de hoje de Mindfulness para a vida moderna, a Ruby explica à diretora criativa da Rituals, Dagmar Brusse, como o mundo moderno está a aumentar a nossa exposição ao esgotamento, mas como o mindfulness e utilizar os sentidos nos pode ajudar a reduzir a ansiedade.  

 

LEITURA DE HOJE: Fazer com que os hábitos saudáveis se mantenham 

O nosso cérebro está repleto de neurónios com brechas entre eles, são as chamadas sinapses, que transmitem a informação. A neuroplasticidade é a capacidade que esses neurónios têm de se adaptar e o mindfulness provou uma e outra vez ter o poder de mudar o nosso cérebro para melhor. Para ativar a neuroplasticidade, simplesmente temos de repetir ações positivas; se fizermos a mesma coisa uma e outra vez, essas ligações no cérebro tornam-se programadas e quanto mais programadas se tornam, mais vamos repetir os mesmos comportamentos, pensamentos ou sentimentos.  

 

“Ao fortalecer certas relações e romper outras, os químicos no nosso cérebro podem aumentar ou diminuir para que trabalhem para nós, em vez de contra nós”, explica Ruby. “Por exemplo, se estiver a praticar mindfulness para ser uma pessoa mais aberta à gratidão ou à alegria, os neurónios da ira começam a debilitar-se e os neurónios da felicidade, a fortalecer-se. Isso depois liberta novos químicos no corpo para fazer com que se sinta bem, o que ajuda a programar sentimentos positivos por defeito”. Com uma prática contínua de mindfulness, pode alterar a forma como o seu cérebro está programado e mudar para melhor como pensa e sente. 

 

No entanto, “se dissermos continuamente ‘não consigo fazer isto’ ou ‘não consigo mudar’, isso é que o vai ser programado e não seremos capazes de mudar”, explica Ruby. “E há sempre coisas que nunca vamos poder fazer: não sou uma pianista nata e não tenho ritmo, mas praticando e repetindo, o meu cérebro remodela-se, de forma a que melhore um pouco”. Isto significa que, se quiser, pode mudar a forma como pensa e reage às coisas, utilizando o mindfulness como ferramenta para chegar aí. Pode alterar hábitos negativos e inúteis e trocá-los por outros revigorantes e positivos. Soa bem, não soa? 

 

Hoje, queremos que pense em todos os momentos que lhe provocam stress no seu dia e como fazendo trocas simples ou alterando hábitos fixos, pode transformar os momentos negativos em mais positivos. Aqui ficam as dicas da Ruby de como fazê-lo, experimente-as ao longo dos dias restantes desta masterclass e estabeleça como objetivo que pelo menos uma delas se mantenha a longo prazo: 

  

1. Acorde 10 minutos mais cedo 

“Em vez de pegar no telefone assim que se levanta, dedique os primeiros dez minutos do seu dia a uma sessão de mindfulness; volte a ver o vídeo do dia 1 para recordar como se faz.  

  

2. Tome um café de forma consciente 

“Dedique tempo a desfrutar do seu café, de manhã, em vez de o engolir automaticamente. Os pensamentos talvez assaltem a sua mente, mas continue a dirigir o seu foco para o sabor do café. Lembre-se: mesmo uns breves segundos fazem a diferença no seu cérebro”. 

  

3. Transforme a sua viagem matinal num momento de mindfulness 

“Se tem de levar as crianças à escola, esperar pelo autocarro ou ir de carro para o trabalho e sente os níveis de agitação a aumentar, foque-se na sensação dos pés no chão ou concentre-se em algo que tenha na mão. E se ainda está nervoso(a) porque vai chegar tarde, foque-se nessa sensação de nervos”. 

  

4. Liberte-se do seu dia antes de ver a família 

“Não leve o seu dia para casa. De caminho ou à porta de casa, dedique um minuto a concentrar-se no som: ouça o ruído ambiente e saia de dentro da sua cabeça. Ao fazê-lo, está a transformar a pessoa que é durante o dia na pessoa que fala com as pessoas em casa e as ouve”. 

  

5. Controlo dos pensamentos ao deitar 

“Na cama, deixe o telefone, desligue a TV e experimente fazer um exercício de três minutos. Simplesmente deite-se e deixe que os seus pensamentos tenham um último festim: rumine, preocupe-se, planeie, matute. Ao fim de um minuto, dirija o seu foco para a respiração durante 60 segundos e, no último minuto, respire para o seu corpo, desde os dedos dos pés à cabeça e deixe-se levar pelo sono”. 

TAREFA DE HOJE: Mindfulness para a insatisfação

Muitas pessoas, quando enfrentam um desafio, querem resolver o problema - quando enfrentamos um problema, procuramos uma resposta. Mas entre esses dois estados - problema e resposta - há uma brecha. E o ser humano dedica a maior parte da sua energia a fechar essa brecha sem compreender que algumas brechas não podem ser fechadas. Este exercício vai ajudar a dar um banho de realidade a esse pensamento. 

  

Escreva estas frases e depois pense nas suas respostas: 

  

*O que quer e não pode ter 

*O que tem e não quer 

*O que acha que o(a) faria feliz 

*Porque é que no fundo sabe que isso não o(a) faria feliz 

 

Todos precisamos de um mecanismo para lidar com os fatores de stress da vida, é por isso que no dia 4 da nossa masterclass de mindfulness vemos como utilizar o mindfulness para lidar com o stress no momento.