Como sentir-se bem com o seu corpo (porque todas as formas e tamanhos são lindos)

Tal como a mente e o corpo de cada pessoa são únicos, também o termo “confiança corporal” pode significar coisas diferentes para cada uma. Para algumas, pode ser uma sensação física de amor e energia que nos percorre o corpo, enquanto para outras, pode estar mais relacionado com o bem-estar mental e com conseguir uma forte união entre mente, corpo e alma. Para a escritora e expert em confiança corporal Astrid Longhurst, o segredo para nos sentirmos a melhor versão de nós é conseguir um equilíbrio entre todos esses elementos, tendo como núcleo a autenticidade.

 

“A verdadeira confiança corporal tem a ver com sermos nós próprios, vivermos a nossa vida de acordo com os nossos valores e assumirmos a nossa felicidade”, explica. “Essencialmente, é uma sensação de honrarmos e aceitarmos quem somos e não deixarmos que o nosso peso, tamanho, forma, idade ou qualquer outra coisa nos defina.”

 

Embora as nossas experiências de confiança corporal possam variar, um estudo de 2016 levado a cabo pelo Dr. David Frederick, investigador e professor-assistente de Psicologia na Chapman University, concluiu: “As nossas conclusões demonstram que os sentimentos de homens e mulheres sobre o seu peso e a sua aparência desempenham um papel importante em quão satisfeitos estão com a sua vida no geral”.

 

Para a escritora e orientadora de crescimento Nicky Clinch não é uma surpresa que a imagem corporal, a autoestima e a felicidade geral estejam intimamente relacionadas. “Vivemos num mundo que nos apresenta constantemente a ideia de que temos de ser melhores. As redes sociais, a Internet, a publicidade… Seja para onde for que nos viremos, dizem-nos que temos de ser mais felizes, mais brilhantes, mais bonitos”, explica. “Somos obrigados a pensar que como somos não é suficiente. Quando começamos a esquecer essa mentalidade e a estabelecer um contacto real com o nosso corpo é quando podemos sentir-nos mais confiantes”.

 

Pronto(a) para se sentir mais confiante com o seu aspeto? Experimente estas cinco dicas de experts em confiança corporal que também as põem em prática.

 

 

  1. Afirmações diárias

“Acredito firmemente nas afirmações diárias”, diz Amy Crumpton, a expert em mentalidade, otimismo e técnicas de programação neurolinguísticas. “Dedique algum tempo a explorá-las e a criar as que funcionam para si; podem focar-se em coisas que são verdadeiras ou em coisas que quer que sejam verdadeiras. Algumas das minhas favoritas são: ‘Sou perfeito(a) tal como sou’ ou ‘o meu corpo permite-me fazer coisas extraordinárias todos os dias.’”

 

“Recomendo a toda a gente que faça uma lista de 20 afirmações. Quando tiver a sua lista, escolha duas ou três por dia e repita-as para si. Pode ser útil dizê-las em voz alta, à frente do espelho, ou até escrevê-las”.

 

  1. Limite o uso das redes sociais

Tornaram-se uma parte importante da nossa vida, mas vários estúdios sugerem que as redes sociais podem desencadear sentimentos de baixa autoestima. “Uma ferramenta muito útil que recomendo a toda a gente que utilize para melhorar a sua confiança corporal é ‘parar de deslizar o dedo no ecrã’”, diz Crumpton. “É muito fácil pegarmos no telefone logo de manhã e começarmos a navegar nas redes sociais sem pensar, absorvendo tudo sem sequer estarmos bem acordados.

 

Em vez disso, quando acordar, faça um esforço consciente para decidir o tipo de dia que quer ter e lembre-se disso antes de entrar nas redes sociais. Vai ajudá-lo(a) a proteger-se”.

 

Custa-lhe desligar do telemóvel? Experimente estas dicas para uma desintoxicação digital.

 

  1. Escreva um diário

Quer escrever um diário seja algo novo para si ou já tenha alguma prática de escrita conscient, há muitos benefícios de passar os seus sentimentos sobre a sua aparência para o papel. “Escrever tudo foi uma rotina diária que mudou a minha vida”, afirma Ali McDowell, defensora da saúde mental e cofundadora de The Positive Planner. “Pegar numa caneta e pôr tudo cá para fora durante cinco minutos por dia pode realmente mudar a nossa perspetiva das coisas e estimular o pensamento criativo em campos complicados da nossa vida”.

 

  1. Linguagem positiva

Tanto Crumpton como Longhurst destacam o poder das palavras e o impacto positivo que a linguagem consciente pode ter na nossa confiança corporal. “As palavras são a estrutura da nossa vida e quando se trata de nos sentirmos bem e felizes com o nosso corpo, podem fazer realmente a diferença em como nos sentimos connosco”, afirma Longhurst.

 

“Optar por uma linguagem transformadora - ou seja, forte, poderosa, enérgica, saudável - ajuda o nosso corpo a sentir-se assim”, acrescenta Crumpton. “Escrevo isto no meu diário quase todos os dias: ‘Sinto-me muito agradecida pelo corpo forte e saudável que tenho”.

 

  1. Meditação

“A meditação é uma magnífica forma de ajudar a estimular uma maior confiança corporal”, defende Longhurst. “Combine-a com delicados movimentos conscientes e mantras, para envolver o corpo todo, em vez de apenas a mente”.

 

Sente-se inseguro(a) sobre determinadas áreas? Longhurst recomenda que se debruce sobre esses sentimentos para criar uma ligação nova e mais positiva. “Se quiser sentir-se mais confiante relativamente aos seus braços, por exemplo, feche os olhos e respire fundo algumas vezes, permitindo-se fundir-se com os seus músculos”, sugere.

 

“Levante os braços como se estivesse a transportar uma bolha de ar, levante-os à altura do coração enquanto inspira e depois baixe-os em direção à barriga ao expirar. Repita este movimento de forma delicada enquanto diz mentalmente: ‘Os meus braços são fortes, capazes e afetuosos e eu aceito a minha vida com tranquilidade e alegria.’ Esta simples meditação com movimento ajuda-nos a criar uma maior ligação com o corpo, o coração, a mente e o espírito”.

 

Quer experimentar mais exercícios de meditação? Comece com este exercício calmante para estimular sentimentos de felicidade e otimismo.