Encontre na música a sua ligação mente-corpo

Todos nós percebemos o impacto positivo que a música pode ter na mente. Quem é que nunca fez a dada altura uma playlist de boa disposição no Spotify? Exatamente. Mas sabe exatamente como a música pode melhorar a função cognitiva e o bem-estar emocional?

 

A MÚSICA E A MENTE

Para começar, a música é um intensificador natural do estado de espírito. A música certa pode levar à libertação de dopamina, um neurotransmissor que está associado ao prazer e à recompensa. Um estudo de 2011 revelou que “a liberação de dopamina é maior para a música agradável versus música neutra, e que os níveis de libertação estão correlacionados com os níveis emocionais e de prazer desencadeados”. Dá um significado totalmente novo à frase “Vou viciar nesta música”, não acha?

 

Mas espere, há mais! A dopamina, para além de nos fazer sentir bem, também regula diferentes aspetos das funções cognitivas cerebrais. Assim, quer esteja a precisar de se animar ou pretenda manter a concentração, encontre essa playlist para boa disposição, pressione play e aumente os seus níveis de dopamina.

 

Se quiser elevar os benefícios da música sobre a mente para um nível superior, procure enriquecer a sua prática de meditação com um bom e longo banho de som. De acordo com os praticantes, um banho de som promove a recuperação a todos os níveis, o relaxamento profundo, uma maior lucidez e abre todo o sistema energético do corpo.

 

AUMENTE A BATIDA ( DO CORAÇÃO)

A música, para além de aumentar a libertação de dopamina também afeta outros processos no corpo. Dependendo do tipo de música que estiver a passar, esta pode fazer-nos sentir mais relaxados ou ativos e alertas. Uma faixa pode até fazer com que a sua frequência cardíaca se alinhe com as bpm (batidas por minuto). A música calma tem a capacidade de retardar o batimento cardíaco, enquanto uma faixa com ritmo rápido acelera-o, fazendo-nos sentir mais enérgicos. Isso também dá jeito quando estamos no meio de um treino intenso. Essa dose extra de energia (olá, dopamina!) e motivação aumenta a resistência e reduz a perceção de esforço. Na verdade, os investigadores descobriram que, se escolhermos a faixa certa para nos motivar, o impacto positivo dessa faixa sobre o nosso estado psicológico e o nosso desempenho aumenta dramaticamente.

 

O mesmo princípio pode ser usado para nosso beneficio após o treino. Quando ouve a música certa com calma, a sua frequência cardíaca e até os seus níveis de cortisol baixam, conseguindo assim realmente acalmar-se e recuperar.

DANÇAR, DANÇAR, DANÇAR

É aqui onde tudo se junta: dançar une a música, o corpo e a mente. Em muitas culturas a dança (e a música) sempre foram usadas como uma forma de comunicação e de criação de laços, e por vezes mesmo como ritual sagrado. Através da música e da dança também encontramos uma forma de nos ligarmos a nós próprios e aos outros. Quando sente o ritmo da batida por todo o corpo e este reage automaticamente de forma física, há algo que desperta em si. Esta sensação de estar “no” nosso corpo faz-nos sentir que acabámos de descobrir uma técnica ancestral que nos liga à terra. Na verdade, a dança é um tratamento comprovado que ajuda as pessoas a resolverem padrões disfuncionais de pensamento, a libertarem emoções dolorosas, a abandonarem velhos hábitos e a sentirem-se mais confiantes e com maior controlo. Então, dance tudo cá para fora. Vai ver que consegue.

 

Qualquer que seja a atividade que pretenda realizar, escolha a música perfeita para a acompanhar.
Apetece-lhe ir correr? Há uma playlist para isso.


Está à procura da música certa para relaxar depois de um longo dia de trabalho? Nós pensámos em si.
Veja todas as playlists da Rituals Spotify e veja o que funciona para si.