“A minha vida com alma” com Katharina Nikelski

A minha vida com alma: 13 perguntas de afirmação da vida com a bailarina Katharina Nikelski.

Damos-lhe as boas-vindas à nossa nova série mensal “A minha vida com alma”. Através de 13 perguntas de afirmação da vida - inspiradas nos pontos da bússola de The Art of Soulful Living, pedimos a uma pessoa que admiramos para refletir e revelar o seu verdadeiro ser. 

 

Este mês, falamos com a bailarina Katharina Nikelski, que participou na nossa campanha Soulful Rituals.. Combinando a sua paixão pela dança, um caminho que começou a seguir aos 5 anos, com uma abordagem holística da vida, tivemos o orgulho de trabalhar com ela nas imagens incríveis para a nossa nova coleção de edição limitada. A Katharina materializa na perfeição The Art of Soulful Living, praticando a força física e mental através do ballet ao mesmo tempo que pratica a compaixão e a alegria no seu dia a dia. A Katharina uniu-se ao programa Aud Jebsen Young Dancers de The Royal Ballet na temporada de 2018/2019 e foi promovida a Artista em 2019. As suas atuações profissionais incluem dançar com The Royal Ballet em Manon, O lago dos cisnes, Dom Quixote e Romeu e Julieta 

 

Em que momento do dia é mais reflexiva? 

“Ao fim do dia, gosto de dedicar uns minutos a refletir. Ajuda-me a melhorar de forma contínua, dá-me novas ideias e ajuda-me a ter perspetiva.” 

 

Que pessoa, lugar ou coisa lhe proporciona alegria de forma garantida? 

“Adoro passar tempo com as pessoas de quem gosto. Aventuras, experimentar coisas novas, gosto de conhecer cidades novas. Dança e música = alegria garantida.” 

 

Acha que é mais importante perdoar ou esquecer? 

“Perdoar faz com que esquecer seja mais fácil, portanto acho mais importante perdoar. Acho que é uma competência essencial para avançarmos e substituirmos as emoções negativas por positivas.” 

 

Por que momento da sua vida está mais grata? 

“Ter uma família que me apoia e que sempre esteve ao meu lado quando tive de tomar decisões. Um lugar a que chamar casa e uma vida que me deu magníficas oportunidades e desafios para aprender, sentir e crescer.” 

 

Já encontrou o propósito da sua vida?

“O meu propósito é bastante simples: ser feliz e viver a vida ao máximo, perseguir os meus sonhos e atingi-los e fazer tudo o que posso para estabelecer ligações, amor e união.” 

 

Acha que é possível ensinar a compaixão? 

“Acho que algumas pessoas nascem com mais compaixão do que outras, mas penso que é possível ensiná-la. Tudo começa com afirmações positivas todas as manhãs e depois praticar aquilo que se defende. Pessoalmente, acho que quanto mais nos preocuparmos com as pessoas à nossa volta, mais energia e alegria sentimos por nós.” 

 

O que gostava de fazer de forma mais consciente?

“Abrandar quando as coisas se tornam frenéticas e caóticas, quando o faço, ajuda-me a ser mais eficiente e produtiva.”  
 

Como é que uma pessoa saberia que a ama?

“Arranjo sempre tempo para as pessoas que amo e quero passar muito tempo com elas, sinto-me segura quando estamos juntos e sinto que elas me complementam, mais do que me completam.” 

 

Qual foi o último ato aleatório de bondade que fez ou viu? 

“Doei roupas e dei alojamento a refugiados ucranianos.” 

 

Quais as 3 palavras que descrevem o seu verdadeiro ser? 

“Determinada, leal e dedicada.”  

 

Com que frequência é que essa Katharina aparece?

“Sempre.”  

 

É fiel ou volúvel relativamente às suas paixões? 

“100% fiel. Sou Escorpião, portanto comprometo-me e sou muito leal relativamente a tudo o que está relacionado com as coisas que são verdadeiramente importantes para mim.” 

  

O que é que atrai sempre a sua atenção e a mantém no momento? 

“Tento viver no momento a maioria do tempo, porque o agora é a única coisa que temos. Tento não me distrair com o passado nem preocupar-me pelo futuro. Algo que sempre atrai a minha atenção é o simples facto de não podermos viver o mesmo momento duas vezes. O pilates e o ioga também me ajudam a estabelecer contacto com o momento presente.” 

 

Em que momento da sua vida é que mais precisou de uma mentalidade positiva? 

“A época da COVID foi um verdadeiro desafio, não saber o que estava a acontecer no mundo e o facto de não poder estar em casa com a minha família. A incerteza relativamente à vida, à família e ao trabalho exigiu uma mentalidade positiva nesses momentos.” 

 

Para saber mais sobre os 13 pontos da bússola de The Art of Soulful Living e como pode utilizá-los para promover o seu bem-estar, clique aqui.